Sunday, June 22, 2014

A Nossa História

Este é o meu relato de parto.
É meu.
Você, que não curte este assunto, ainda tem tempo para sair deste blog.

Não saiu? (...)

Capítulo 1 - A encomenda
Bernardo foi um bebê planejado. E executado (rs) muito rapidamente! Um mês depois da decisão tomada,  ele já estava a caminho...
Minha gestação foi tranquila do início ao fim e, mesmo o cansaço das últimas semanas não me abalou!  Trabalhei muito, (muuuuito mesmo), reformei a casa, assumi mais uma escola, viagei, fiz yoga, li sobre o parto,  obriguei o Demian a me acompanhar em cursos e aulas sobre o assunto.  Nós sabíamos: queríamos um parto normal e eu queria ainda mais do que isso... Queria um parto humanizado!
O planejamento para o parto incluiu videos infinitos sobre o assunto, a escolha da GO, encontros na Casita, a escolha da doula (Acompanhantes de parto profissionais, responsáveis pelo conforto físico e emocional da parturiente durante o pré-parto, nascimento e pós-parto.), cursos sobre parto...

Capítulo 2 - O plano
Minha DPP (data prevista de parto) era dia 24 de abril.
Eu sempre pensei que meu bebê chegaria antes...
Dia 15, lua cheia ou dia 22, lua minguante, eram meus palpites.
Desde as 36 semanas de gestação eu tive contrações diárias, que me faziam acreditar nos palpites acima e que o Bernardo chegaria da maneira que eu havia planejado: Através de um parto lindo e respeitoso, mas principalmente, um paro que seria o melhor para ele!
Os dias foram passando e o Bernardo quietinho na minha barriga, passou o dia 15, depois o dia 22 e nada! Ansiedade master... E nada.
Tive que relaxar. Percebi que não teria controle nenhum sobre a data da chegada dele. Decidi seguir o conselho de uma amiga e procurar fazer as coisas que gostava de fazer sozinha, pois, como ela disse, seria a última vez que eu as faria...

Capítulo 3 - A chegada
Na noite do dia 21, uma super surpresa: perdi meu tampão (substância que protege, temporariamente, o colo do útero)!!!
\e/ - Bernardinho chegandooooo!!!
Dia 22 passou tranquilamente... Fiquei em casa, resolvi alguns detalhes finais relacionados ao trabalho, fui ao banco, descansei.
A noite do dia 22 foi estranha. Senti muitas contrações, bem mais intensas do que as que eu vinha sentindo nas últimas semanas, lembrei das dicas da Amanda (minha doula) e não pensei nelas, ao longo da noite, meu foco foi descansar...
Dia 23 amanheceu e, às 7 horas, eu estava de pé e logo falei para o marido: "-Bernardo chega hoje, prepare-se!"
Logo que levantei, percebi um sangramento maior e decidi marcar as contrações... as primeiras estavam a 6 minutos e as seguintes, de 3 em 3!!!
Liguei para a Amanda, que começou a se organizar para vir para minha casa. Ela chegou às 10h.
Amanda e eu ficamos felizes em casa, celebrando cada contração,  pois elas trariam meu bebê em breve!
Estranha a sensação de não saber como as coisas evoluem dentro de você... Dor, envolta em...Prazer??? Isso mesmo. As contraçoes doiam, mas quando iam embora, eu me enchia de uma sensação deliciosa!
Demian, que tinha saído para o trabalho, voltou às 11h15. Ficamos ali, os três, conversando... Eu focada na minha respiração e no "rebolado", a Amanda no meu bem estar e o marido... no vídeo game. (C'est la vie!)
Lá pelas 14h, tudo mais intenso, pedi para irmos para o hospital. Estava bastante preocupada com o trânsito e o tempo que levaríamos para chegar até o Itaim e como seria lidar com as contraçoes no carro. Marido dirigiu, Amanda e eu no banco de trás. Viagem tranquila.

Capítulo 4 - No hospital
Na triagem, fui recebida pela Dra. Ana Thais, parceira da minha GO, que estava em atendimento do outro lado da cidade, que me examinou e constatou míseros 1.5 cm de dilatação...
Fiquei bastante assustada,  pois não imaginava ter que voltar para casa e depois ter que voltar para o hospital novamente... (Eu tenho muito medo da imprevisibilidade do trânsito de São Paulo...)
Como o Bê andava muito quieto na minha barriga, a Dra. pediu alguns exames e ficamos por lá até que tudo fosse feito.
Fiquei na recepção do hospital e pelos corredores, em trabalho de parto. Todos no hospital apavorados, (embora eu estivesse em uma maternidade, poucas mulheres chegam lá desta maneira... Oi???) com cara de dó, me ofereciam ajuda e cadeira de rodas a cada contração.
Impressionante como o trabalho de parto é facilmente confundido com doença...
Até que, no caminho para um ultrassom, enquanto eu estava escorada em uma parede, esperando a contração passar, uma moça veio na minha direção, abriu um sorriso e disse "-Oba! Bebê chegando!" (Fiquei feliz e emocionada! Até que enfim alguém entendia a beleza do momento!!!)
Ao final dos exames,  já pelas 17h30, pedi novo exame de toque,  para ver como as coisas haviam evoluído e para tentar ficar no hospital... ir para SBC, naquela momento,  significava  trânsito,  muito trânsito... E alegria!!! 5cm! Fomos internados.
Subimos para a sala de pré parto e, como as contrações estavam mais intensas,  fui para o chuveiro. Impressionante como o banho aliviou as dores.  Eu queria ficar ali para sempre!  Dra. Dolores chegou. Ficou lutando,  junto com a Dra. Ana Thais, por um delivery room (quarto especialmente preparado para partos humanizados), já que havia espera.  E eu,  não  fiquei no chuveiro para sempre... (Mais uma coisa que me chamou a atenção no TP: como em um momento a gente ama uma posição e logo em seguida algo te puxa para sair dela... É um bom ruim, sabe? Rsss)
 E não é que as danadas me conseguiram o delivery? UHU Corre! Vamos encher a banheira!  Delícia! Hummm... Agora não tão bom... Bola? Banheira de novo? Gostoso... risadas,  papo descontraído sobre seriados... Ai, ai... Tudo ficando mais intenso!  Menos a minha fome: lembro de ter comido melão e laranja,  tomado  muita água e cuspido fora uma Amandita inteira,  pois o cheiro e o gosto me enjoaram...
De repente,  entre uma contração e outra na banheira,  entre uma posição e a busca por outra mais cômoda,  a  bolsa estourou e depois disso, a coisa ficou preta. Lembro de mais um toque... Às 2 da manhã, eu já podia sentir a cabecinha do Bernardo dentro de mim,  estava com apenas 7 cm de dilatação.



Na minha cabeça: shit! Em 9 horas só 2cm? Mais 3cm para o bebê passar. Meu corpo cansado e as contrações muito mais intensas. Perdi a concentração.  Não  conseguia mais focar no nascimento,  só nas dores.
Não  conseguia mais relaxar entre as contrações,  sentia  muito medo da próxima que viria. Me contraia e achava que não chegaria a lugar algum... Assim,  pedi por analgesia.  E, até que o anestesista chegar, tive medo de que não aguentaria. Às 2h34 recebi a anestesia.  Dormi  por 20 minutos,  coberta por um cobertor hospitalar que foi o mais confortável que eu já usei em toda a minha vida...

Capítulo 5 - A anestesia
A anestesia foi um caso a parte.  Feita por um profissional que trabalha com parto humanizado, não tirou os movimentos das minhas pernas, só a dor,  devolvendo assim, meu foco. (E foi um barato.  Uma viagem,  se é que vocês me entendem...)

Capítulo 6 - Força frustrada
Às 3 horas acordei.  Dilatação total.  Contrações muito intensas.  Hora de fazer força e conhecer meu guri!
Força,  força,  força.
Deitada.  De pé.  Na banqueta.
Força... Nada.
Por 3 horas tentamos, até que não havia mais o que fazer.
Bernardo precisava virar a cabecinha para passar e não virava.
Dra. Dolores tentou ajudar.  Dra Ana Thais também.  Nada.
Aí o coração do pequeno começou a oscilar. (E o meu a apertar...)

Capítulo 7 - O nascimento
Meu filho nasceu às 6h35. Através de uma cesária, para a qual eu não estava preparada.
Eu andei até o centro cirúrgico.  O marido me apoiou.  Amanda foi conosco.
Tudo muito rápido. Preocupação com o bebê.
Muito medo...
Muita tremedeira.
Um chorinho...
Alívio. Uma sensação indescritível... Quente. Abundante.

Capítulo 8 - Bernardo lindo e seus direitos
Não houve aspiração nasal,  nem usaram o nitrato de prata nos olhos lindos do meu bebê.
2995 kg, 48 cm.
Nasceu um pai.
Lição expressa de com amar sem medidas.
Bernardo mamou no centro cirúrgico e ficou comigo o máximo possível, depois fomos para a recuperação e a equipe para o merecido descanso.


Capítulo 9 - Agradecimentos
Este vai ser um capítulo longo.
Eu sou grata a muitas pessoas...
A Sara Romano, por ter me apresentado a Casita, por ter me acompanhado a uma das sessões do Renascimento do Parto, por ter plantado em mim a curiosidade sobre o parto humanizado e, principalmente, por te me mostrado um caminho para saber mais sobre ele e me preparar.
A Amanda Mesquita, por ter preparado o meu corpo e tranquilizado minha mente nas nossas aulas de yoga. Por ter me suprido com informação. Por estar sempre disponível para as minhas dúvidas. Por ter me acompanhado durante meu trabalho de parto. Tudo parte do trabalho dela, mas com muito carinho, muita preocupação e muito respeito.
A Dra. Dolores Nishimura, que me mostrou que um Obstetra pode se preocupar com muito mais que meu útero. Por me tranquilizar ao longo da gravidez, por ter uma voz suave e calmante, mas, principalmente, por ter tentado conosco até o final, por ter feito o melhor para o meu Bernardo, por ter nos rerspeitado e incentivado durante todo o processo. (Por ser linda e amar gatos também!)
A Dra. Ana Thais, convocada aos 45 do segundo tempo, para acompanhar o trabalho de parto no hospital. Pelo papo frouxo e pelas risadas fáceis. Pelo respeito, obrigada!
Ao Dr. Andre Salani, pelas mãos suaves, que me proporcionaram alivio para a dor, no momento e intensidade necessarios. Pelas explicações, pela fala mansa e tranquilizadora.
Ao meu amor, pai do meu filho, por aceitar e comprar minha escolha, por me acompanhar na gestação, por me dar carinho, beijinho e massagem durante o parto. Por entender que em alguns momentos era bom se afastar, sem sair de perto. Por ter me proporcionado tamanha felicidade. Por estes 8 anos... Te amo.

10 comments:

Aldaneire said...

Betina! Quanto tempo e que novidade linda você nos trouxe!
Querida, que seu filho cresça com muita saúde e paz, imagino a alegria que está sua vida agora. Parabéns, beijos e fiquem com Deus!

["/]jeaninedemoraes["/] said...

Beee, amada! Agora mãe! Bom demais, né? Bem-vinda ao clube das babonas e pessoas mais felizes do mundo!! Quanta emoção, né! <3 Bom retorno ao blog! E, sempre que o Bernardo te liberar (hehe) escreva. Adoro teu blog. Grande beijo. ;)

lilian Ferreira said...

Que lindo Bee Parabéns!!!!

Aline Knorst Tavares said...

Amiga!

Como é gostoso "te ler". Parece que estou ouvindo tu falar... lembrando dos bons tempos em que saíamos pela Lomba, nos divertindo pra caramba!
Adorei ler o relato do teu parto. Que bom que, no final, deu tudo certo e que está aí o Bernardo lindo e forte!
Parabéns pela vitória, parabéns por ser essa mãe integral (sei que tu vais entender!) e parabéns pelo blog!

Quando vieres para o Sul, vamos marcar um encontro das mamães, filhos e amigas.

Beijos!!!

Marina Lunardi said...

Lindoo Be! Me emocionei, chorei e dei risada... Parabens pelas tuas escolhas eu adorei o relato do teu parto! E tb quero muito um parto humanizado =) Beijosss x

Patrícia Carvalho de Brito said...

Betina, simplesmente fantástica toda sua trajetória até o parto do seu lindo Bê. Muito emocionante... bjs

mahmoud aly said...

شركة تنظيف بالدمام شركة المثالى
شركة مكافحة حشرات بالدمام شركة المثالى
شركة مكافحة حشرات بالدمام شركة اباده كنترول
شركة مكافحة الحشرات بالدمام شركة اباده كنترول

henrique menna said...

Olá adorei o post, e já estou seguindo, se der me segue http://cidadedosolmanoelviana.blogspot.com.br

Aleatoriamente said...

Muito lindo teu relato, confesso que minhas unhas quase pediram socorro mais pronto, consegui controlar-me. Amei o cantinho.

Tenho um oceano no olhar, o resto... said...

Olá! vc tem os contatos da Dra Dolores? Ela atende em SP capital? As custas médicas foram muito altas?
Muito obrigada por compartilhar e parabens pelo bebê!